Descubra como a ‘operação apagão’ do INSS em junho pode impactar você: servidores exigem reajuste de 33%

Entenda o que motiva a operação apagão que os servidores do INSS realizam em junho de 2024.

Introdução

O SINSSP-BR orienta os servidores a participarem da “Operação Reestruturação com Excelência”, que tem como objetivo manifestar a insatisfação dos servidores do INSS em relação à proposta rebaixada apresentada na mesa de negociação específica da Carreira do Seguro Social e reafirmar a necessidade da valorização da carreira.

O governo pretende desvalorizar a Carreira do Seguro Social, enquadrando-a como carreira de apoio do serviço público federal. A operação terá início em 17/06/2024, com apagões todas as terças e quintas até o final do mês de junho ou até nova assembleia, começando na terça-feira, dia 18/06.

Das Orientações

Todos os servidores da Carreira do Seguro Social do INSS podem e devem participar. As orientações são as seguintes:

  • Servidores em teletrabalho e semipresenciais com meta por produção: reduzir a produção mensal para 80% da meta líquida e não realizar PEFPS.
  • Servidores em teletrabalho e semipresenciais com meta por produto: não realizar PEFPS.
  • Servidores presenciais nas CEABs: reduzir a produção mensal para 80% da meta líquida e não realizar PEFPS.
  • Servidores presenciais nas CEABs com pactuação por produção e 6 horas diárias de trabalho: não realizar PEFPS.
  • Servidores presenciais nas CEABs em período probatório: não realizar PEFPS.
  • Servidores presenciais das atividades-meio: não realizar PEFPS.
  • Servidores presenciais do atendimento ao público com 8 horas diárias de trabalho: não realizar PEFPS.
  • Servidores presenciais do atendimento ao público com 6 horas diárias de trabalho e 1,22 pontos: não realizar PEFPS.
  • Servidores em cargos de chefia: não realizar PEFPS.

Nos dias do apagão, os servidores não devem puxar nem concluir tarefas; os presenciais devem reservar esses dias para atualização da legislação, organização de documentos e andamento de e-mails. Recomenda-se que servidores presenciais usem vestimenta preta em sinal de protesto.

INSS CURITIBA

Das Reinvindicações

As reivindicações incluem recomposição das perdas salariais, reestruturação e valorização da Carreira do Seguro Social, exigência de nível superior imediato para técnicos do seguro social, reconhecimento da exclusividade das atribuições da carreira, estrutura remuneratória justa e equitativa, manutenção do teletrabalho integral e parcial, melhores condições de trabalho e o reconhecimento da carreira como típica de Estado.

Resumo em tópicos

  • Início e Motivo:
    • Começa terça-feira, 18 de junho
    • Servidores do INSS, representados pelo SINSSP, exigem reajuste salarial de 33% até 2026 e valorização da carreira de técnico do seguro social
  • Ação dos Servidores:
    • Redução de 20% na produção todas as terças e quintas de junho
    • Nome da ação: “Reestruturação com Excelência”
  • Objetivo:
    • Pressionar o MGI (Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos) para nova proposta
    • Possibilidade de greve se negociações não avançarem
  • Impacto no Atendimento:
    • Afeta tanto funcionários presenciais quanto em home office
    • Pode atrasar a liberação de benefícios previdenciários e assistenciais (ex: BPC)
    • Atendimentos presenciais e perícias médicas continuam normalmente
  • Detalhes da Reivindicação:
    • Reajuste zero este ano é inaceitável para os servidores
    • Proposta do MGI: 9% de reajuste em 2025 e 3,5% em 2026, não aceita pelo sindicato
    • 18 mil funcionários da Previdência, sendo 14 mil técnicos do seguro social
  • Outras Preocupações:
    • Técnicos querem ser considerados carreira de estado, não de apoio
    • Avanço do uso de Inteligência Artificial no INSS preocupa; análise humana é essencial para evitar erros.
  • Exigências Futuras:
    • Técnicos querem que a exigência para contratação passe a ser ensino superior
  • Situação Atual:
    • Greve não é interessante, mas possível
    • Governo ofereceu aumento de 9% em 2024, que foi para repor perdas gerais e aumento do vale-alimentação para R$ 1.000
  • Posição do INSS:
    • INSS não responde pelas negociações

Fique atento às atualizações e entenda como isso pode afetar os serviços do INSS que você utiliza!

Deixe um comentário